Série Gestão de Estoques

Otimização dos estoques

СНПЧ А7 Самара, обзоры принтеров и МФУ

Abre Uma nova onda de ferramentas de planejamento prepara o terreno para o estoque ágil e a realocação dos pedidos.

O gerenciamento por exceção pode ser o mantra das cadeias de suprimento em tempo real. Mas se uma empresa simplesmente automatizar sua capacidade de reação em vez de combinar isso com o melhor planejamento, as práticas em tempo real poderão fracassar. É por isso que mais empresas estão buscando uma nova onda de aplicações que otimizem os estoques, bem como sistemas para o gerenciamento dos pedidos distribuídos, dizem os especialistas.

Os aplicativos de gerenciamento da demanda classificaram-se como as duas maiores áreas de investimentos. A principal prioridade dentro do gerenciamento dos estoques é a otimização em múltiplos níveis, assim chamada porque ela pode avaliar as metas em toda a rede de parceiros e de locais.

Vemos a otimização do estoque em múltiplos níveis como capaz de eliminar de 15% a 25% do estoque das empresas que possuem cadeias de suprimento complexas e de múltiplos níveis. Essa porcentagem, para a maioria das grandes empresas que implementa estes sistemas, pode se traduzir em múltiplos ganhos.

O objetivo do gerenciamento dos estoques em múltiplos níveis, é a otimização das posições em toda uma rede de parceiros comerciais. Quando esta forma de otimização é somada ao gerenciamento dos eventos, bem como aos sistemas de gerenciamento de pedidos que aproveitam as informações do estoque em tempo real seja de quem for o material, as empresas tem uma capacidade melhor de atender aos clientes sem acumular estoques de segurança.

Existe uma complexidade cada vez maior na cadeia de suprimento e ao mesmo tempo um maior rigor nas exigências por parte dos clientes que querem entregas mais frequentes e no entanto não querem pagar mais. Por isso, as empresas têm uma opção de aumentar o estoque para que possam atender a estas exigências maiores ou descobrir uma forma melhor de lidar com isso.

Tudo na rede

As novas soluções de otimização diferem das soluções tradicionais. Elas não só são capazes de analisar múltiplos locais, mas também conseguem modelar os cenários da demanda e da oferta. As novas ferramentas conseguem avaliar áreas como a variabilidade dos lead-times, enquanto que antes isso não era analisado em nenhum tipo de detalhe.

A solução de planejamento e otimização em múltiplas etapas consegue determinar os melhores planos possíveis de disponibilidade de materiais e de produtos. Eles são baseados nas metas de serviço ao cliente e nas incertezas inerentes tais como as variâncias de tempo ou as complexidades das múltiplas localizações. A otimização dos estoques é realizada normalmente em um horizonte de tempo maior do que o planejamento da fábrica. Uma solução é direcionada para esta otimização normalmente semanal. Outra é direcionada para um projeto de rede de longo alcance. Quando executado nos dois níveis, o terreno fica preparado para a execução ágil. O modo de tornar você mesmo responsivo é colocar o material certo, no lugar certo, na hora certa.

Com o projeto de rede, vem uma pergunta importante: onde é o ponto mais barato para manter o estoque, dada a necessidade de responsividade? As grandes empresas muitas vezes têm um grupo de planejamento central que executa este projeto e pode combinar isso com as mudanças de instalação tais como a criação de áreas de baldeação.

A baldeação mantém o estoque de produtos acabados fluindo diretamente para os clientes. A automação da baldeação como os sistemas de classificação de alta velocidade e de controles de movimentação de materiais já existe. Mas até recentemente, a visibilidade da oferta e da demanda necessária para a baldeação era difícil de conseguir.

Mas hoje, com o acesso mais imediato aos dados de demanda e a melhor comunicação no lado da oferta com os avisos antecipados de embarque e outras tecnologias, mais empresas têm as informações para estabelecer as instalações de baldeação. Um dos principais benefícios do planejamento em múltiplos escalões é a redução do efeito chicote. Esse é um fenômeno em que as pessoas de cada etapa de uma cadeia de suprimento acumulam mais estoque contra as incertezas das previsões. Todos adicionam a variabilidade, por isso um pequeno movimento do pulso pode criar uma enorme variância na ponta do chicote.

Porém o efeito chicote pode ser dominado. É necessário um software aperfeiçoado de otimização do estoque e de planejamento da demanda que avalie a posição ideal dos materiais em cada escalão e imponha uma única visão da demanda do menor ponto de consumo. É tudo uma questão de remover o estoque de segurança necessário dos escalões maiores da cadeia de suprimentos.

A funcionalidade dinâmica da implementação ajuda as empresas a decidirem onde deixar o material em espera para um atendimento flexível, porém de baixo custo. O que se quer é alocar dinamicamente o estoque para um local necessário e ao mesmo tempo utilizar o material que esteja na rede.

Embora útil, além dessa funcionalidade de otimização dos estoques também é importante ter um WMS (“warehouse management system”, sistema de gerenciamento de armazéns) com captura de dados sem fio para garantir a acurácia do inventário em tempo real. É preciso ter uma contagem confiável e o WMS é a chave para isso.

Desafio da integração

O planejamento prepara o terreno para a realocação ágil, porém a necessidade é acionada pelos pedidos dos clientes. É aí onde entram os sistemas de gerenciamento dos pedidos distribuídos (DOM – Distributed Order Management).

Uma solução de DOM, adota uma visão mais dinâmica em toda a rede de onde a empresa poderá atender aos pedidos, em vez de pré-determinar regras de quais localidades têm os produtos para atender a um pedido. Um desafio com as soluções de DOM, é que elas requerem um componente de integração para se ligar mais facilmente aos diferentes sistemas.

Elas têm que se integrar ao software vigente para entender quanto há de estoque disponível para que consigam fazer a alocação e a promessa dos pedidos a partir disso. Uma solução de DOM pode se conectar com os sistemas de ‘back-end’ usando uma variedade de métodos e também fornecer um componente de modelo de processo de negócios que delineie o fluxo de trabalho e os pontos de decisão envolvidos.

São necessários bons modelos de processos com o gerenciamento dos pedidos distribuído. Trata-se do gerenciamento conforme as necessidades do cliente e isso requer a capacidade de gerenciar até o fim da cadeia de suprimento e em seguida tomar as decisões com base nestas informações.

O gerenciamento dos pedidos distribuídos (DOM) dá suporte à alocação e ao suprimento flexível dos materiais

Fabricante

  • A empresa obtém o pedido do cliente. O pedido pode entrar por um site comercial da Web ou por um sistema ERP
  • O pedido/solicitação de demanda utiliza a funcionalidade de gerenciamento de pedidos do sistema DOM

Verificação do estoque internamente, com os fornecedores e com os parceiros logísticos

  • A capacidade de agregação e integração do sistema DOM verifica a disponibilidade de estoque nos múltiplos locais, sistemas ou até mesmo nas lojas

Produtos supridos de locais específicos

  • O sistema DOM aloca o material para o pedido – suprindo os produtos acabados necessários de vários locais. O sistema pode levar em conta quais locais acumulam SKUs em excesso. Em seguida, o sistema básico WMS ou empresarial pode comunicar a transação ao sistema DOM

Transações financeiras

  • Embora os sistemas DOM variem em suas capacidades transacionais, alguns oferecem uma funcionalidade de transação financeira do pedido até o pagamento de vital importância para a empresa, gerando os pedidos de compras aos fornecedores ou aos sistemas internos ERP e enviando as faturas aos clientes

Andamento do fulfillment

  • Uma vez feito o compromisso de atendimento do pedido com um cliente (fulfillment), a funcionalidade de gerenciamento de eventos do sistema DOM pode fornecer as atualizações do andamento do atendimento. Os processos comuns que podem impactar no andamento incluem os avisos antecipados de embarque (ASN) ou as informações de licitação de fretes e dos eventos do embarque. Os sistemas DOM normalmente dão suporte à EDI e aos serviços na Web, porém alguns permitem a entrada dos dados dos eventos com base na Web

O pedido é atendido

  • Quando o cliente recebe o pedido, o sistema DOM fica ciente e pode rastrear qualquer desvio da data de entrega prometida. O DOM também pode tratar dos pagamentos do cliente referente a esse pedido

A Revista LOGÍSTICA e SUPPLY CHAIN

A revista LOGÍSTICA & SUPPLY CHAIN destaca-se por sua qualidade editorial e pauta criteriosamente estabelecida com o auxílio de um Conselho Técnico Editorial formado por profissionais experientes e atuantes no mercado de logística, com o objetivo de desenvolver reportagens criativas e atuais para os leitores. A participação constante em eventos nacionais e internacionais garante a antecipação de tendências aos leitores.