Armazenagem

Notícias > Armazenagem

Estruturas porta-paletes convencionais permitem a organização dos produtos

Descubra quais são as vantagens e as novidades de ter esse tipo de estrutura de estocagem em seu armazém

Há várias alternativas para organizar eficientemente  seu armazém e aumentar a segurança do local. Uma das mais simples e baratas é, sem dúvida, a instalação de porta-paletes convencionais. Essas estruturas trazem muitos benefícios, desde o acesso mais rápido aos itens e separações mais otimizadas até maiores capacidades de estocagem.
Esse tipo de equipamento serve para três finalidades básicas:

 

Essas estruturas são  indicadas para todo  tipo de armazenagemUtilização cúbica: fornece a estrutura de apoio necessária para o empilhamento de produtos em alturas maiores do que seria possível se os paletes com produtos fossem empilhados uns sobre os outros.

 

Proteção do produto: elimina as forças de esmagamento verticais que ocorreriam se os produtos fossem empilhados uns sobre os outros e protege o produto do impacto dos veículos.

 

Organização: cada palete é estocado em um local exclusivo.
As estruturas porta-paletes convencionais são indicadas para quase todos os tipos de armazenagem. “Toda empresa que recebe e/ou expede seus produtos em cargas paletizadas pode utilizar os porta-pale

tes, o que proporciona maior velocidade e segurança às unidades no carregamento e durante o transporte”, afirma Hétor Costa, diretor executivo da Montiaço.

 

“Os paletes com a carga são colocados na estrutura com a utilização de empilhadeiras ou transelevadores”, completa Paulo José Ribeiro do Vale, gerente de negócios da Águia. Segundo o diretor comercial da Metalshop, Fernando Montenegro, o equipamento pode aguentar desde pequenos volumes até cargas paletizadas de 2.500 kg.

 

O sistema convencional possui vários tipos de acessórios. Flávio Piccinin, gerente operacional da Isma, cita alguns dos mais aplicados:

 

Tranversinas: pemitem que o palete seja estocado com o apoio em outro sentido.

 

Plano H: pemite que sejam estocados paletes com profundidades diferentes.

 

Porta-skids: usado para viabilizar a estocagem de caçambas ou paletes especiais.

Quanto a soluções diferenciadas, João Tadeu Alves Coelho, gerente comercial da Brauna, comenta: “Creio que podemos mencionar os túneis para circulação de empilhadeiras e os “layouts”, que envolvem eventuais colunas dos armazéns ‘escondendo-as’ e propiciando uma operação com maior rentabilidade”.

 

Entre os acessórios há alguns que podem ser utilizados para aumentar a segurança do equipamento. Os mais comuns são os protetores. Existem inúmeros modelos que visam proteger as colunas de eventuais choques com os equipamentos de movimentação. “Protetores de colunas, “guard-rails”, esquis para apoio dos paletes, longarinas centrais, entre outros, são alguns tipos de acessórios que disponibilizamos para aumentar a segurança do palete na prateleira”, diz Heide Carlos Alexandre, gerente comercial da Savik.

Uma de suas vantagens é a alta seletividade proporcionadaO material de fabricação é essencial para a segurança das estruturas porta-paletes

Vantagens e desvantagens


A empresa que optar por ter uma estrutura porta-paletes convencional em seu centro de distribuição contará com inúmeras vantagens em seu sistema de armazenagem. Provavelmente, a principal delas é a seletividade. “Você tem acesso fácil a qualquer posição de armazenagem a qualquer momento, sem precisar movimentar as outras cargas. Além disso, como o sistema trabalha com posições fixas, fica mais fácil a utilização de sistemas informatizados para controle de todo o estoque”, diz Robson Abade, diretor técnico da Travema.

 

Segundo o diretor da Fermad, Silvio Barbosa, outra vantagem surge quando comparamos seu custo a outros tipos de porta-paletes (drive-in, dinâmico, racks, etc.). “De fato não existe nenhuma estrutura de estocagem com menor custo, além da possibilidade de possuir um bom valor de revenda como equipamento usado.”

 

Outro aspecto que conta muito na hora de escolher o porta-paletes convencional é o baixo custo com a manutenção do equipamento. “Devido à sua estrutura metálica ser leve e resistente, o porta-paletes convencional torna-se um equipamento versátil, pois se pode alterar sua configuração com muita facilidade, mantendo assim o custo de sua manutenção baixo. Além de possuir uma vida longa quando bem cuidado”, completa o gerente comercial da Alambre, Armando Barbati Filho.

 

Como nem tudo são flores, a estrutura porta-paletes convencional também apresenta algumas desvantagens em sua utilização. Segundo Gustavo Trentin, diretor industrial da Prol, a principal desvantagem é o fato de que parte do espaço do piso dedicado às estruturas ultrapassa facilmente 50% da área de armazenagem. “O sistema gera muitos corredores, não tendo o máximo aproveitamento com a paletização e fazendo com que se perca uma grande área no armazém. Em alturas acima de nove metros, é necessário o uso de equipamentos especiais e com limitações de cargas nas posições superiores.”

 

Outra desvantagem seria a fragilidade da estrutura, segundo Francisco, gerente comercial da Bertolini: “Há perigo de ocorrência de acidentes com as empilhadeiras devido ao tipo de material frágil usado nas estruturas”.

Segurança

 

Além dos acessórios, já citados anteriormente, as empresas que fabricam estruturas porta-paletes convencionais utilizam-se de outros métodos para proporcionar a segurança máxima para seus clientes na hora da armazenagem.

 

A principal norma seguida pelos fabricantes desse tipo de estrutura é a ABNT NBR 15524, de 2007, que se aplica especificamente às estruturas porta-paletes e define os termos de armazenagem utilizados nesse tipo de sistema. “Ao longo destes mais de 40 anos de mercado, a Mecalux sempre procurou seguir as normas de cálculo específicas para a segurança nesses tipos de equipamentos: A FEM (europeia) e a norma brasileira ABNT NBR 15524. Com isso, asseguramos a nossos clientes que eles estarão respaldados pelo que existe de mais rigoroso no mercado em normas de segurança”, destaca Breno Buch, supervisor de vendas.

 

“Nossas estruturas são calculadas seguindo a norma brasileira NBR 15524 e algumas normas internacionais mais rigorosas. Além disso, temos um cuidado enorme na seleção da matéria-prima principal que é o aço. Só utilizamos o de qualidade estrutural com certificado do fornecedor”, completa Abade.

 

Outro fator que compromete a segurança das estruturas são as avarias. As mais comuns são causadas pelo impacto de empilhadeiras contra os porta-paletes. “Os choques dos equipamentos de movimentação ou a operação de carga e descarga indevida são as principais causas. A prevenção começa pela instrução dos operadores desses equipamentos”, afirma Maiorano, engenheiro da Altamira.


A Prol cita outras causas de avarias: “Adição descontrolada de produto no palete armazenado; o operador, por falta de treinamento, deixa cargas mal acondicionadas, soltas ou com volume além do limite do palete, isso quando verificam se as condições de uso do palete estão perfeitas”.

 

Para evitar que tais avarias prejudiquem o sistema de estocagem, é necessário fazer a manutenção correta nos equipamentos. “O responsável pela área onde a estrutura está instalada deve realizar a vistoria regularmente, e, se for identificada qualquer alteração nos elementos da estrutura, entrar em contato com a empresa, que enviará uma equipe técnica responsável para a realização do reparo/manutenção”, afirma seu gerente comercial.

O mercado de porta-paletes cresceu devido à preocupação em utilizar 100% do espaço
É importante que se tenha sempre componentes para substituição (longarinas) ou que se providencie a reparação da área danificada (colunas dos montantes) que normalmente acontece na parte inferior da coluna do porta-paletes. “Pode-se facilmente seccionar a área danificada enxertando uma nova coluna no ponto, e através de uma junção uni-la à parte já existente e não danificada. De qualquer maneira, sempre que houver um dano no equipamento e este for avaliado como potencial risco de acidente, a área deve ser isolada e a estrutura nesse ponto deve ser descarregada”, completa o diretor da Fermad.

Mercado


Com o crescimento do poder de aquisição das classes sociais, houve um aumento na demanda de produtos. Com isso as empresas se obrigam a ter sempre um estoque de material (tanto matéria-prima como produtos finalizados) para poder atender o mais rápido possível seus clientes, tomando isso como um diferencial de seus concorrentes.

 

Por essa razão, segundo Gisele Fernanda Domenici Dias, diretora comercial da Aldd, a venda das estruturas porta-paletes convencionais cresceu muito. “As empresas estão verticalizando seus estoques, aumentando assim o número de produtos estocados sem ter de aumentar o espaço físico.”

 

Felipe Montoni, gerente-geral da Armsistem, compartilha da mesma opinião: “O mercado de porta-paletes aumentou porque as empresas estçao se preocupando  cada vez mais em utilizar 100% do espaço do armazém de forma organizada”.

 

“Podemos dizer que hoje o sistema de porta-paletes convencional está presente nas pequenas, médias e grandes empresas. Isso acontece pelo incrível custo-benefício desse equipamento”, completa a Mecalux.

Novidades

 

Apesar de o mercado das estruturas porta-paletes convencionais estar em franco crescimento, os fabricantes desse equipamento precisam sempre inovar para que seus clientes não escolham outra opção de armazenagem.

 

A Prol está lançando este ano, no mercado, seu novo modelo de estruturas porta-paletes, o P12. “Esse sistema se caracteriza por ter uma coluna com 12 dobras, garantindo maior segurança e aumento da capacidade de carga, tudo isso desenvolvido aliando um bom custo-benefício, já que conseguimos fazer com que a estrutura fique mais forte sem aumentar o valor de venda”, afirma seu diretor industrial.

 

Em 2011, a Mecalux lançará no mercado um transelevador para armazéns de até 15 metros de altura. “Esse equipamento pode ser instalado em um sistema porta-paletes convencional e, além de funcional, tem um custo bem próximo ao de empilhadeiras”, diz Buch.

 

A Fermad também pretende inovar apresentando um porta-paletes com corredores elevados. “É um porta-paletes convencional no qual instalamos passarelas (corredores elevados) e escadas de acesso para o uso manual em substituição às estantes metálicas e com custo muito inferior e resultados práticos melhores”, finaliza Silvio Barbosa.

Participe e Comente

A Revista LOGÍSTICA

A revista LOGÍSTICA destaca-se por sua qualidade editorial e pauta criteriosamente estabelecida com o auxílio de um Conselho Técnico Editorial formado por profissionais experientes e atuantes no mercado de logística, com o objetivo de desenvolver reportagens criativas e atuais para os leitores. A participação constante em eventos nacionais e internacionais garante a antecipação de tendências aos leitores.