Modelo de custeio baseado nas operações logísticas

Categoria: Série Armazenagem

modelo de custeio

 

Ao melhorar a eficiência do custo logístico, toda cadeia de abastecimento deve ser considerada. Não é suficiente calcular os custos logísticos de uma empresa e seus fornecedores e clientes; a eficiência de custo do fornecedor do fornecedor e do cliente do cliente também deve ser levadas em conta.

Uma ferramenta utilizada para gerenciar isso é o modelo de custeio ABC (custeio baseado na atividade).

 

Custos logísticos em geral

Os custos logísticos incluem todos os custos numa cadeia de abastecimento que são provocados pelo fluxo de material, incluindo o custo do fluxo da informação associada ao fluxo de material. As seguintes operações foram definidas como custos logísticos:

Transporte;

Operações de alfândega;

Armazenagem: recebimento, inspeção de recebimento, estocagem, separação, embalagem e expedição;

Compras;

Encomenda;

Transações de pagamento;

Administração de materiais na produção;

Vendas (incluindo recebimento de pedidos);

Reciclagem.

Em geral, os custos logísticos dependem, por exemplo, da área de negócio, da estrutura do pedido e métodos de trabalho da empresa.

O trabalho relativo aos custos logísticos é realizado em duas fases. Na primeira fase analisam-se as operações logísticas das empresas e calculam-se seus custos logísticos. Calcular os custos logísticos inclui projetar um modelo de cálculo, coletar os dados das empresas e realizar os cálculos. Na segunda fase analisam-se a estrutura dos pedidos das empresas, a fim de obter uma idéia do comportamento dos custos e encontrar uma base para o modelo de custeio.

A informação sobre investimentos nas seguintes áreas:

investimentos e custos

Modelo de cálculo ABC

O modelo de cálculo com o qual os custos logístico baseado no ABC são onde cada função tem um preço consistido de vários elementos de custo. A informação de custo coletada das empresas foi utilizada para dar preço às operações logísticas. No total de 14 operações considera-se um custo no modelo (por exemplo, movimentação de materiais e estoques-pulmão na produção e operações do terminal). Existem sete dessas operações, conforme segue:

1. Compras.

2. Transporte.

3. Logística de recebimento do armazém: o custo dos produtos recebidos incluindo recebimento, inspeção de recebimento e guarda do material em prateleiras.

4. Armazém: custo de manutenção do estoque, isto é, custos de ativos flutuantes +/- custos/faturamento de ativos líquido.

5. Armazém: custo de estocagem, incluindo custos do equipamento e espaço.

6. Logística de distribuição: custo de separação, de embalagem e expedição.

7. Vendas: aqui incluímos apenas o custo de recebimento dos pedidos.

O custo logístico total em porcentagem das vendas e para custos por pedido, linha de pedido e porcentagem de vendas, bem como por palete e metro de estante, são comparáveis um com o outro entre as diferentes empresas. Esses números foram usados para tirar conclusões sobre os fatores que influenciam os custos logísticos.

Custo logístico médio e fatores que influenciam os custos logísticos

A figura 7.2 mostra o custo médio de cada operação em porcentagem das vendas. Esses são mostrados separadamente para atacadistas e fabricantes industriais.

exemplo de apresentação de custos

Como os custos logísticos são calculados da mesma forma em todas as empresas, foi possível comparar os custos entre diferentes empresas. Além disso, investigando seus métodos de trabalho, poderiam ser tiradas conclusões sobre meios de custo eficiente de gerenciamento logístico. Existem vários fatores proeminentes, conforme segue:

Estrutura do pedido: pedidos com poucas linhas de pedido eram caros.

Investimentos: o sucesso dos investimentos, especialmente em equipamentos de estocagem, podiam ser vistos muito claramente nos custos logísticos de diferentes operações.

Localização geográfica: isso tem dois efeitos. Empresas localizadas em grandes cidades possuíam altos custos de bens imóveis e empresas localizadas em áreas remotas tinham altos custos de transporte.

Atitude da administração logística: empresas com um gerente de logística motivado, inovador e competente tinham eficiência de custo claramente melhor em logística do que o resto das empresas.

Serviço ao cliente: empresas que investiram em bom serviço ao cliente surpreendentemente também tinham a logística de custo mais eficiente.

Conforme declarado anteriormente, analisamos o primeiro ponto (o efeito da estrutura do pedido das empresas) mais de perto e, baseado nisso, criamos um modelo de simulação para os custos logísticos.

 

Modelo de custeio ABC

Os custos calculados com o modelo de cálculo ABC são médios. Contudo, em logística os custos variam muito de uma situação para outra. Pedidos básicos e de rotina poderiam não incorrer em custos significantes tanto em compras quanto no recebimento de mercadorias no armazém. O mesmo se aplica à logística de distribuição. Todavia, uma parte significativa dos custos logísticos freqüentemente resulta de pedidos e situações anormais, por exemplo, pedidos urgentes.

Por esse motivo, estimamos por que e quanto os custos alteram de acordo com a estrutura do pedido.

O dado histórico para o modelo de simulação dos custos logísticos

Estimamos variações nos custos nas seguintes operações:

Compras

Logística de suprimentos: recebimento, inspeção de recebimento e guarda de material em estanterias.

Logística de distribuição: separação, embalagem e expedição.

Vendas

gráfico comparativo

Os custos de transporte também podem ser calculados em nosso modelo ABC; aproximadamente 20% de todos os custos logísticos são custos de transporte. Apesar disso, os custos de transporte foram omitidos do modelo de simulação, pois dependem fortemente dos prazos de entrega. Contudo, os custos de transporte devem obedecer às mesmas fórmulas para compras de armazenagem e vendas (apresentada depois nesse artigo). Isso pode ser visto, por exemplo, nas taxas de frete de empresas de transporte, onde pequenas entregas custam mais por unidade do que grandes entregas. Os custos de transporte podem ser facilmente acrescentados ao modelo se necessário.

O processo de estimativa foi dividido em dois grupos: a estimativa dos custos de compras e vendas e a estimativa dos custos de entrada e saída de produtos do armazém.

 

Estimativa dos custos de compras e vendas

O efeito da estrutura do pedido sobre os custos de compras e vendas é estimado realizando estudos da atividade.

Algumas operações podem ser diretamente atribuídas a certos pedidos, enquanto o restante das operações são operações gerais tais como fazer acordos anuais de compra ou venda. Pelas respostas, foram tiradas conclusões sobre qual parcela do tempo útil do pessoal de compras e vendas pode ser considerado como gasto em pedidos e quanto é diretamente gasto nas linhas de pedido. Conseqüentemente, foi obtida uma relação para custo por pedido e custo por linha de pedido.

 

Estimativa de custo da logística de recebimento e expedição

As estimativas dos custos de operação do armazém são feitas baseadas nos estudos das atividades previamente executadas nos armazéns. Analisa-se quanto tempo é gasto nos pedidos de diferentes tamanhos. Claramente há um aumento exponencial no tempo gasto por linha de pedido nos casos onde existem poucas linhas de pedido por pedido, comparado a um pedido com várias linhas. A partir dos estudos de atividades calculamos a relação entre custo por pedido e custo por linha de pedido das operações de armazenagem.

 

O modelo e alguns números médios nas empresas

Em compras e vendas, bem como para operações do armazém, os custos logísticos provaram obedecer uma fórmula do tipo Y= A+BxX, onde Y= custo total de manuseio de um pedido; A= valor em $ para o custo de manuseio de um pedido, independente do tamanho do pedido; B=Valor em $ para o custo de manuseio de uma linha de pedido, e X= número de linhas de pedido no pedido.

A fim de entender o efeito de pequenos pedidos sobre os custos logísticos da empresa, a fórmula pode ser apresentada num formato onde é dado o custo por linha de pedido. A fórmula é da forma Y/X= A/X+B, onde Y/X é o custo de manuseio de uma linha de pedido num pedido. A fórmula significa que os custos por linha de pedido aumentam significantemente, de acordo com uma função de força, quando a quantidade de linhas de pedido num pedido diminui.

Determinamos essas funções separadamente para atacadistas e fabricantes para todas as operações logísticas mencionadas na seção anterior. Cada empresa também recebe as fórmulas com seus próprios custos logísticos. A simulação então é montada num programa de computador com os números médios das empresas.

custo da logística de recebimento

Por exemplo, uma fórmula para os custos da logística de recebimento num armazém é Y=$15+$5X, como uma média para atacadistas e fabricantes. Os custos incluem os custos de recebimento, inspeção e estocagem. Quando a fórmula é apresentada numa forma onde os custos são dados para cada linha de pedido, a fórmula é Y/X = $15/X + $5. A figura 7.4 mostra a curva utilizando essa fórmula. O custo por linha de pedido é apresentado em função das linhas de pedido num pedido e, portanto, o eixo X mostra o número de linhas de pedido num pedido e o eixo Y mostra o custo de uma linha de pedido. A partir da figura pode ser visto que o custo de manuseio de uma linha de pedido de um pedido de uma linha é muito alto – $20. Contudo, em pedidos mais próximos de 10 linhas por pedido, o custo de manuseio de uma linha de pedido é menor que a metade do custo do pedido de uma linha. Também pode ser visto que, quando existe mais de 7-8 linhas por pedido o custo por linha de pedido não reduz a um grau maior mesmo que o número de linhas por pedido aumenta. O ponto crítico, portanto, é algo em torno de 7 linhas de pedido por pedido.

A figura 7.5 mostra a curva para o custo de compras como uma média para as empresas atacadistas e fabricantes. Na figura 7.6 e na figura 7.7 respectivamente, são dadas as curvas para os custos de atacadistas, da logística de saída num armazém e para o custo de vendas.

custo de compras

curvas para os custos de atacadistas

 

Eficiente administração de pequenos pedidos e possibilidades de utilização do modelo

Logística é uma área complexa onde os custos e serviço ao cliente se encontram. Contudo, existem operações em quase toda empresa que poderiam ser executadas mais eficientemente:

Planejando com maior antecedência;

Comunicando com fornecedores e clientes mais próximos, bem como comunicar-se com o fornecedor do fornecedor e o cliente do cliente.

Comunicando mais com outros departamentos da mesma empresa; por exemplo, comunicação entre departamentos de compras, produção, armazém, vendas e marketing.

Com relação a isso, esse modelo de custeio pode ser usado para mostrar onde estão os maiores potenciais de ganho. O modelo também pode estimar com antecedência os efeitos financeiros das mudanças pretendidas nos métodos de trabalho. Para uma empresa empregar um modelo, são necessários dados de fluxo de material e dados de custo da empresa. Alternativamente, podem ser usados custos médios das empresas na mesma área. Os efeitos do custo podem ser vistos em toda cadeia de abastecimento para fornecedores, atacadistas, fabricantes e varejistas, bem como para provedores de serviços logísticos. Contudo, a fim de obter informação confiável sobre os efeitos do custo total ao usar o modelo, também deve ser dada consideração a estimativa do efeito de menor ou maior entrega sobre o custo de manutenção do estoque e sobre os custos de estocagem.

Além da cooperação mais próxima na cadeia de abastecimento, outras soluções para entregas caras de pequeno porte envolvem novas tecnologias de armazenagem situados em grupos eficientes e novos modelos de serviço de fornecedores. Esse tipo de modelo inclui, por exemplo, VMI (Vendor Managed Inventory), onde o fornecedor cuida de todo abastecimento de algum artigo, geralmente de baixo custo, de tal forma que o cliente nem precisa encomendar os artigos. Esses tipos de artigos podem ser, por exemplo, parafusos e porcas, os quais são muito baratos e os maiores custos na aquisição deles são os custos de compras, transporte e recebimento no armazém. Pode ser acordado que o fornecedor estabeleça uma estante sob premissa do cliente e assegure que os artigos combinados sempre estejam disponíveis. O fornecedor envia uma conta de acordo com o consumo, por exemplo, uma vez por mês. O modelo de simulação pode ser usado para cálculo da lucratividade dos investimentos em novas tecnologias de armazenagem ou os benefícios de usar os novos modelos de serviço acima mencionados por fornecedores.

Outra solução para o manuseio econômico de pequenos pedidos é a automação de operações de pedido em compras, bem como operações em vendas. Aqui, além o EDI, novas tecnologias de Internet, bem como novas tecnologias de códigos de barras, como código bidimensional, podem ser utilizadas.

custos de vendas

 

Um exemplo prático

O modelo foi usado para mostrar o potencial de ganho de custo em logística nas empresas participantes. Tomamos exemplos de dados de fluxo de material dos sistemas de informação de algumas das empresas. As amostragens representaram um período de tempo de um dia a várias semanas. Nas amostras fomos capazes de ver a real estrutura dos pedidos em vez de apenas as médias.

Aqui é dado um exemplo de um atacadista. Tiramos amostragens de um dia de dados de fluxo de material e analisamos uma amostra de mil pedidos. Agora observamos os dados de compras e a logística de recebimento do armazém.

O número médio de fluxo de material mostrou que existiam 5,6 linhas de pedido por ordem de compra. Na amostragem de dados, descobrimos que 45% dos pedidos e incluíam apenas uma linha de pedido. Com um modelo de simulação, fomos capazes de calcular os efeitos de custo de pedidos de uma linha sobre os custos de compra e de logística de recebimento no armazém. No cálculo, os dados calculados especialmente para essa empresa foram lançados no modelo de simulação. O modelo fornecia os custos específicos para cada tamanho de pedido. A estrutura do pedido de compras e seus efeitos de custo podem ser vistos na figura 7.8.

Como pode ser visto na figura 7.8, o modelo mostrou que 31% dos custos de compras foram provocados por pedidos de uma linha de pedido. A situação era a mesma para os custos da logística de entrada no armazém, incluindo recebimento, inspeção de recebimento e guarda de material em prateleira. Trinta e um por cento dos custos foram provocados por pedidos de uma linha de pedido na logística de recebimento do armazém. O modelo vai ser usado no futuro para simular uma quantidade de variações de outros tipos de estruturas de pedido nessa empresa. As estruturas dos pedidos serão montadas de acordo com os planos dessa empresa para melhorar seus métodos de trabalho no departamento de compras.

distribuição de pedidos

 

Discussão e conclusões

O estudo mostra que quando uma empresa visa a excelência logística na eficiência de custo, esta deverá levar em consideração toda cadeia de abastecimento. Dessa forma, o cliente final pode alcançar o melhor valor para seu dinheiro, pequenos pedidos exercem um papel muito significante nos custos logísticos da cadeia de abastecimento e freqüentemente são provocados pelos seguintes motivos:

Aumento da demanda para um nível de serviço mais alto que freqüentemente leva a pequenas entregas JIT e também pequenos pedidos imediatos

Falta de cooperação e planejamento na cadeia de abastecimento.

O primeiro ponto é um fato que os fornecedores freqüentemente devem aceitar. Contudo, mesmo pequenas entregas podem ser tratadas economicamente com métodos de trabalho, equipamentos e tecnologias apropriadas em compras, armazenagem e vendas.

A falta de cooperação também é uma questão importante e afeta os custos logísticos de várias formas. O estudo comprovou que a melhor arma para a eficiência de custo logístico freqüentemente é obtido melhorando e aumentando um tipo de parceria de cooperação.

 

VM - Shopping cart

 x 

Carrinho vazio

VM - Search in Shop

VM - Currencies Selector



VM - Manufacturer