Previsões para se preparar para o CD do futuro

Categoria: Série Armazenagem

armazem do futuro

 

A necessidade de reduzir custos, ao mesmo tempo elevar níveis de serviços, continuará a crescer. Muitas empresas começaram a examinar suas cadeias de abastecimento e sua rede de distribuição como uma das poucas áreas remanescentes onde podem reduzir custos. O centro de distribuição (CD) que evolui para atender às pressões contínuas de redução de custo, mais mudança das necessidades do cliente será um elemento crítico na capacitação das empresas para competir com sucesso.

CDs e operações de armazenagem já espremeram em muito os custos de seus processos, assim melhorias incrementais podem não ser suficientes. Realizar melhorias inovadoras exigirá uma instalação física, tecnologia e processos que sejam diferentes daqueles encontrados atualmente. Extraindo de seu trabalho com clientes da manufatura e da distribuição, apresentamos algumas previsões que podem contribuir para o CD do futuro.

 

1. O CD do futuro será dependente dos sistemas de informações e da automação.

O impacto da Internet realmente ainda não foi sentido totalmente. Isso torna difícil planejar o armazém/CD do futuro. É muito difícil prever quais atividades ocorrerão no armazém daqui a cinco ou dez anos, prever quanto espaço de
não-estocagem deverá existir e como configurá-lo.

Para acomodar um futuro incerto, instalações e estocagem, sistemas de informações e de movimentação precisarão ser suficientemente flexíveis para movimentar coisas que ainda não existem.

Apesar da incerteza, é uma aposta segura que o CD do futuro contará com tecnologia de informação sofisticada que proporcionará visibilidade da cadeia de abastecimento (e dentro do armazém), aumentará o controle interno e reduzirá custos. Os sistemas de gerenciamento do armazém (WMS) serão integrados na cadeia de abastecimento.

 

2. Os pedidos serão melhores e os armazéns manterão um número menor de unidades de mais SKUs.

À medida que as vendas crescerem, mais instalações expedirão diretamente aos consumidores, o que resultará em pedidos menores e mais numerosos. As empresas B2B também terão pedidos menores, graças à ênfase contínua na manufatura enxuta e as operações “just-in-time”. Previu-se que a proliferação de SKU continuará, de modo que os CDs e os armazéns terão mais SKUs – mas um número menor deles.

 

3. O CD do futuro será mais automatizado.

A complexidade da operação do CD continuará a aumentar, o que direcionará a utilização de níveis mais elevados de automação.

Cada vez mais, requisitos dos clientes farão a automação que pode ter sido difícil justificar no passado como requisitos para realizar negócios. A automação no centro de distribuição do futuro poderá bem incluir sistemas de informações e tecnologia de movimentação de materiais tais como os sistemas de separação por luz, sistemas de sortimento e transportadores contínuos de acumulação. Equipamentos automatizados de estocagem e recuperação, separação, sortimento, embalagem e movimentação de materiais aumentam a capacidade de movimentar pedidos menores e utilizar um número menor de operadores. Apesar dos maiores níveis de automação. Não há tecnologia de vanguarda absoluta que será necessária. A chave será como os diversos sistemas serão combinados.

Ao mesmo tempo em que equipamentos e sistemas de informações são de alto custo, as necessidades do cliente no futuro ditarão que você invista mesmo se não puder justificar a despesa.

 

4. O cross-docking desempenhará um papel cada vez mais importante.

Lead-times e considerações de custo não permitem que as operações recebam grandes quantidades de produtos, coloque-os na estocagem, recupere-os faça, seu sortimento, separe-os, construa um pedido e depois os expeça. As
empresas precisarão melhorar sua capacidade de trazer produtos de um grande número de fornecedores, então consolidar e expedir os pedidos diretamente. E as instalações precisarão ser projetadas para acomodar mais fluxo de cross-docking.

 

5. O CD do futuro desempenhará mais serviços de valor agregado.

A nova era exigirá que os CDs forneçam alguma combinação de serviços logísticos, tais como devolução e reparo, reabastecimento da loja e montagem do pedido. Desempenhar atividades de maior valor agregado exigirá mais áreas disponíveis no centro de distribuição.

 

6. O CD do futuro será um tipo diferente de instalação.

A antiga caixa quadrada ou retangular é boa sob o ponto de vista de custo por pé quadrado, é fácil alugar para alguém. Contudo, maior automação, crossdocking e desempenho de atividades de maior valor agregado ditarão um tipo diferente de instalação.

As características físicas do CD podem mudar dramaticamente. Atividades automatizadas podem ocorrer em múltiplos níveis utilizando sistemas automatizados de estocagem e recuperação que podem ser tão altos chegando de 30 a 40 metros. E os centros de distribuição em forma de “L” estão sendo projetados para acomodar níveis mais elevados de cross-docking.

Escassez de energia e altos custos da energia continuarão a ser um fator no futuro. Alguns observadores acreditam que estamos no começo de uma crise energética ampliada, se for este o caso, então a conservação e a eficiência da energia precisarão receber uma alta prioridade ao se projetar o CD do futuro.

 

7. Redes de distribuição tenderão a ser um punhado de megacentros de distribuição até redes descentralizadas de armazéns regionais.

Você verá mais centros de distribuição satélites ou avançados em vez de diversos centros de distribuição centralizados. Devido aos rigores das exigências dos clientes, mais empresas terão CDs satélites menores que executam um número maior de atividades de valor agregado. Outro fator que contribui às instalações regionais e que está aumentando o congestionamento nas rodovias. Freqüentemente a forma para superar isto é ter CDs satélites e diminuir o tempo de viagem, mas ainda assim continuará o eterno dilema centralizar vs. descentralizar.

 

8. Menos pessoal, porém mais bem treinado, será utilizado no armazém.

Coleta e transmissão automatizados de dados, equipamentos automatizados e custos mais elevados da mão-de-obra perpetuarão a tendência para um número menor de pessoas no armazém. Prevê-se que mais técnicos com múltiplos conjuntos de aptidões serão encontrados no armazém do futuro. As pessoas no armazém precisarão ser adequadamente treinadas para utilizar os sistemas de informações. Prevê-se que os funcionários do armazém serão mais altamente qualificados. Em alguns casos, isso incluirá educação técnica.

 

9. Os gerentes precisarão mudar a forma na qual gerenciam.

Os gerentes do futuro precisarão se tornar instrutores, capacitadores e líderes. Treinamos pessoas para gerenciamento por objetivos. Isto precisará mudar. Os gerentes de CD terão de instruir os operadores e capacitá-los para realizar suas metas por meio da eliminação dos obstáculos.

 

10. Indicadores de desempenho serão mais abrangentes e integrados.

Medir o desempenho de um centro de distribuição será aprimorado, atrelando as metas aos indicadores globais do negócio que considera um equilíbrio de indicadores de curto, médio e longo prazos nas perspectivas financeiras, de
mercado, de processos e de inovação que assegurará um futuro sustentado.

VM - Shopping cart

 x 

Carrinho vazio

VM - Search in Shop

VM - Currencies Selector



VM - Manufacturer