Movimentação

Notícias > Movimentação

tempo-real-1

A informação em tempo real faz pressão sobre os sistemas de movimentação para manter o fluxo contínuo e ao mesmo tempo comportar lotes menores

 

Em geral, os gerentes de produção têm duas opções quando se trata de atender as necessidades dos clientes. Eles podem formar uma enorme pilha de estoque e atender o cliente a partir daí, ou podem ficar mais responsivos com a redução dos tamanhos dos lotes e dos lead-times, ao mesmo tempo aumentando a velocidade de atendimento dos pedidos.

Há pouco futuro para a primeira opção. A segunda não é apenas a melhor opção, mas também é na qual a movimentação de materiais em tempo real se destaca, pois os sistemas em tempo real englobam movimentações mais curtas de lotes menores com menos pulmões e maior confiabilidade.

Em outras palavras, o tempo real altera a movimentação de materiais de forma significativa, maximizando o uso das informações disponíveis para tomadas de decisões imediatas.

A ênfase em um sistema de movimentação de materiais em tempo real está no fluxo contínuo. O resultado final são sistemas com uma nova variedade de equipamentos manuais e automatizados capazes de responder de imediato aos eventos planejados e não planejados.

 

Isso exige que o usuário final e também os fornecedores repensem não só a variedade de equipamentos, mas também a eficiência de certos modelos tradicionais. Além disso, o alto grau de integração necessário entre a movimentação e os sistemas de informação exigem um novo enfoque para a criação desses sistemas de movimentação de materiais.

Em um centro de distribuição moderno, em um dia típico, os pedidos são separados em lotes ou ondas. Mas à medida que o dia vai passando e o centro de distribuição atinge dois picos de atividade, no final da tarde e no início da noite, a separação discreta entra em ação. Com a separação apenas dos pedidos específicos nessas horas, os pedidos são atendidos em uma hora. Além disso, ela é feita misturando-se a movimentação de materiais manual (separação na estanteria) e a automação (sortidor de correias cruzadas).

O sucesso nesse caso é a integração rigorosa dos processos em tempo real com os equipamentos dos regimes de operação.

 

Maximizando o fluxo

Uma das principais práticas hoje é a manufatura enxuta, cujo conceito enxuto é uma força propulsora do avanço da movimentação de materiais em tempo real. Isso não é nada surpreendente dada a necessidade de reabastecimento de matéria-prima e de estoque em processo em intervalos de alguns minutos.

Mas o conceito enxuto também tem sido um desafio. O conceito enxuto exige a movimentação de quantidades tendendo a uma unidade. Embora possa haver mais movimentações do que os gerentes estejam acostumados, existem diversas vantagens, incluindo o fluxo contínuo, tarefas múltiplas, redução do espaço ocupado, melhor uso dos ativos e integração mais rigorosa das etapas dos diversos processos.

Maximizar o fluxo significa ter áreas de espera e pulmões limitados. É melhor equalizar todos os processos na fábrica e no armazém e mantê-los todos ativos. Tempo real significa isso.

O fluxo contínuo também tem como efeito menor acúmulo de estoque em todo lugar. Isso permite a ocupação de uma menor área. O fluxo contínuo também resulta no uso constante dos equipamentos de movimentação de materiais.

Historicamente, os pulmões eram usados para otimizar a capacidade dos sistemas de sortimento. Hoje, com mais atribuições totalmente dinâmicas das estações de trabalho e com o controle em tempo real da separação e do fluxo dos produtos, os pulmões físicos tendem a desaparecer.

O reabastecimento dinâmico é um outro aspecto na qual o tempo real abre novas possibilidades. Vemos um cenário em que um sistema de gerenciamento de armazéns (WMS) aloca o estoque para um pedido. Se houver falta de um ou mais itens, o reabastecimento é iniciado antes de o pedido ser liberado para a fábrica. A ideia é nunca separar um pedido com faltas para deixá-lo pendente.

O tempo real também permite a realização de múltiplas tarefas simultaneamente. Enquanto o reabastecimento estiver a caminho, as outras atividades, tais como separação e contagem cíclica, podem ser realizadas, economizando tempo e mantendo uma condição máxima de responsividade.

 

O poder da integração

 

Ainda que o potencial dos sistemas de movimentação em tempo real seja grande, o desafio também é. Embora a integração com os sistemas de informação seja fundamental para esse sucesso, a integração de todos os componentes de movimentação de materiais também é. Para chegar lá, é necessário um sistema de informações também sincronizado em tempo real.

É nescessário fornecedores de sistemas para um projeto em conjunto, e isso exige que todos passem mais tempo analisando os dados das operações específicas para determinar precisamente os critérios de desempenho que o sistema de movimentação de materiais deverá atender.

A análise dos dados também figura na equação automação/movimentação 2011manual sincronizada. Embora a maioria das pessoas pense nas regras de automação em tempo real, existe um perigo real em pensar que as pessoas precisam ser eliminadas desses sistemas. Elas são tão importantes à operação quanto qualquer sistema de automação e podem ser igualmente eficientes nos locais certos.

O tempo real é uma combinação de velocidade e flexibilidade. Para combinar as duas características com máxima eficiência, a automação é a opção. Mas em relação à célula, a movimentação manual pode ser ainda melhor.

 

tempo-real-2

A recomendação é maximizar a flexibilidade dessa resposta rápida. E aí que entram os controles. Os próprios controles precisam se adaptar às novas informações assim que chegam. Isso exige um alto nível de flexibilidade nos controles, sem mencionar a integração deles com todos os componentes-chave, dos equipamentos de movimentação aos sistemas de informação.


Claramente, esses são os primórdios da nova geração de sistemas de movimentação de materiais em tempo real. Embora algumas empresas já tenham feito progresso aqui, a maioria ainda não o fez. O grande desafio hoje é determinar como os processos de movimentação de materiais devem ser modificados para aproveitar ao máximo as informações disponíveis.

Participe e Comente

A Revista LOGÍSTICA & SUPPLY CHAIN

A revista LOGÍSTICA & SUPPLY CHAIN destaca-se por sua qualidade editorial e pauta criteriosamente estabelecida com o auxílio de um Conselho Técnico Editorial formado por profissionais experientes e atuantes no mercado de logística, com o objetivo de desenvolver reportagens criativas e atuais para os leitores. A participação constante em eventos nacionais e internacionais garante a antecipação de tendências aos leitores.