Transportes

Notícias > Transportes

Brado exporta caroço de algodão em contêineres

6algodao brado 1O tempo necessário para carregamento de contêineres com caroço de algodão caiu a menos da metade com o novo sistema desenvolvido pela Brado em Rondonópolis. A empresa implantou nova infraestrutura que estufa um contêiner de 40 pés (com capacidade para 25 toneladas do produto) em apenas 20 minutos em seu Terminal Intermodal localizado em Rondonópolis no Sudeste de Mato Grosso. Com projeto, a unidade ganha clientes entre os exportadores da commodity agrícola.


Representantes da cadeia de produção do algodão conheceram o sistema em visitas técnicas ao Terminal da Brado. Os carregamentos começaram nas últimas semanas e ganharão volume já a partir deste mês. A solução desenvolvida pela Brado elimina um dos maiores gargalos logísticos enfrentados na exportação de caroço de algodão, avalia o Gerente de Exportação da Savixx, Alvaro Nunes.
“Acompanhei o projeto desde o início e fiquei surpreso com o resultado, a funcionalidade, a tecnologia empregada”, relata. “Para nós, o novo sistema vai representar redução nos custos e ganho de produtividade”, acrescenta, “essa redução de custo é essencial porque, neste momento, faz com que a exportação de caroço de algodão volte a ser viável frente a valorização do real”. A Savixx atua hoje em São Paulo, Rio de Janeiro, Espirito Santo, Santa Catarina, Pernambuco, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Paraná e Bahia
A nova estrutura possibilita descarga mecanizada para os caminhões que chegam carregados de caroço de algodão direto das unidades de beneficiamento. Pelo novo sistema, o caminhão entra no tombador e descarrega o produto diretamente em uma moega ligada a um conjunto de esteiras automatizadas. As esteiras possuem mobilidade para distribuir os caroços de algodão de maneira uniforme no interior dos contêineres. O peso exato da carga de cada contêiner é controlado antes da transferência ao modal ferroviário, utilizado para o transporte até o Porto de Santos (SP).
Para os produtores e exportadores de algodão, essa infraestrutura traz uma série de vantagens. Com mais agilidade e redução de perdas, o escoamento da produção torna-se mais eficiente e vantajoso. Além disso, os serviços têm controle de qualidade, preocupação constante da Brado em suas operações, que garante o melhor custo benefício em operações logísticas.
Nas fazendas e em praticamente todos os pontos de estufagem de contêineres com caroço de algodão do Brasil, são utilizadas pás carregadeiras para encher cada contêiner ou caminhão, a partir de pilhas de caroço de algodão dispostas em pátios e depósitos, leva-se cerca de uma hora, mais que o dobro do tempo alcançado pela Brado. Além dos ganhos reais em produtividade, a operação tem importante foco no aumento da segurança de seus colaboradores.
“A operação de caroço de algodão exige mais atenção do que outros produtos e a área de Segurança do Trabalho da Brado foi envolvida em todas as etapas do projeto, apontando e sugerindo melhorias. Sem que os requisitos mínimos de segurança sejam atendidos, nenhuma nova operação é realizada na Brado”, afirma o Gerente de Saúde e Segurança da Brado, Marco Zancanella.
O novo sistema do Terminal Intermodal da Brado em Rondonópolis poderá também ser utilizado para carregamento de outros graneis, conta um dos responsáveis pelo projeto, Homero Rech, do setor de engenharia. “Os algodoeiros são diretamente beneficiados porque normalmente não contam com estrutura tão completa para carregamento de contêineres em suas unidades. No terminal da Brado, conseguimos diluir o custo da infraestrutura atendendo diversos setores, o que representa ampliação de serviços e vantagens para todos”, explica.
Os testes já foram realizados e os primeiros trens de contêineres carregados pelo novo sistema devem partir de Rondonópolis para o Porto de Santos ainda este mês. O principal destino das cargas é o continente asiático, onde o caroço de algodão transformado em óleo, tecidos e ração animal.
6algodao brado 2  6algodao brado 3

Participe e Comente

A Revista LOGÍSTICA & SUPPLY CHAIN

A revista LOGÍSTICA & SUPPLY CHAIN destaca-se por sua qualidade editorial e pauta criteriosamente estabelecida com o auxílio de um Conselho Técnico Editorial formado por profissionais experientes e atuantes no mercado de logística, com o objetivo de desenvolver reportagens criativas e atuais para os leitores. A participação constante em eventos nacionais e internacionais garante a antecipação de tendências aos leitores.